Quarta-feira, 5 de Setembro de 2012

Trocas Energéticas...(I)

 

 

 

 

Todo o sentido da nossa existência está na busca por nós mesmos para que depois de reencontrados podermos ser um dos dois que se buscam…

 

Pois…

 Dito desta forma parece fácil…

Na verdade, não deixa de o ser…o difícil é chegar a esse mesmo estado…compreendendo-o…

 

Cada um, individualmente, acreditará no que entender…

Como sempre disse, as minhas palavras são simplesmente análises refletidas de vários assuntos que resolvi aprofundar…em vários momentos…

 

Depois de já muito ter sentido e analisado, acredito que existe uma energia que nos mantém a todos ligados formando aquilo ao qual chamamos de Universo…

 

Desde há muito que sei da existência de trocas energéticas entre os seres…e da importância que elas têm no normal funcionamento desses mesmos seres…

Sei também que essas trocas energéticas vão muito além da simples análise humana…

É algo que é sentido naturalmente…e que só nos conseguimos aperceber desde que consigamos viver o momento…para conseguirmos ter uma mente sã...

Nestas condições, conseguimos filtrar a energia que recebemos vinda de outro ser e conseguir sentir quem é que a partilha connosco…pois essa mesma energia funciona como que “BI” da sua alma…

Programando a nossa mente para analisar e registar de forma compreensiva o que vamos sentindo, conseguimos perceções espetaculares…

É claro que teremos de estar continuamente fazendo retificações e análises de credibilidade à nossa mente pois sabemos bem o quanto ela consegue fazer-nos acreditar naquilo que mais lhe convém…

 

É também através desta ligação energética, que conseguimos manter unidos o corpo e a essência (alma)…

 

A maior ou menor liberdade de circulação entre estas duas partes faz com que haja também uma maior ou menor circulação de energia entre os seres que nos rodeiam…

 

Desta forma, quanto maior for a harmonia nesta constante troca maior será a facilidade que o indivíduo terá em se sentir…

 

Quanto mais nos conseguimos sentir, mais reencontrados estamos de nós mesmos…

 

 

 

Fiquem bem…

 

 

 


publicado por Agora às 07:29
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 4 de Julho de 2012

Reencontro...

 

 

 

Libertos de todas as amarras que nos faziam prisioneiros de um passado e conscientes que os reencontros só são possíveis no momento presente, conseguimos compreender que não precisamos de procurar por nós…basta que nos olhemos…

 

Quantas vezes esperámos pela concretização de um objetivo no tempo quando na verdade bastava que o olhássemos para descobrirmos que já o tínhamos atingido…

Quantas vezes criámos a ilusão de salvação num futuro…quando na verdade bastava que conseguíssemos viver num estado de presença para estarmos salvos…

Quantas vezes gritámos por salvação…quando na verdade bastaria que nos conseguíssemos libertar dos medos, apegos, carências, ganâncias…para nos sentirmos livres…

 

Agora que descobrimos a existência de uma linha que separa o passado e o presente e na qual podemos atingir a total liberdade de simplesmente ser, sentimos que estamos todos por ela ligados…

 

Com humildade conseguimos atingir um momento de equilíbrio e saber em consciência o grau de respeito que temos de ter connosco e com tudo aquilo que nos rodeia…

Olhando em redor, conseguimos sentir a forma perfeita como fazemos parte de tudo o que nos envolve…

Com os passos dados demos conta de que “ser” está muito mais além do que “fazer parte de”…

Quanto maior for a consciência de que também somos natureza, maior é a virtualidade, o altruísmo, a fraternidade…à nossa volta…

Nós somos frutos dessa mesma natureza…

Assim sendo, se podemos ser a natureza, também somos Universo…

A continuação de vivência neste estado de graça faz-nos sentir que também nós somos parte do Universo…

 

Agora podemos sentir esse mesmo Universo em nós…

Neste momento podemos dizê-lo pois sentimo-lo a correr-nos nas veias…

Conseguimos sentir o líquido da vida em nós…

Começamos a sentir de que matéria é feita a nossa essência…

 

Damos conta que é do mesmo material que existe nos sentimentos mais nobres…

Descobrimos que existe um elemento comum a todos eles…e por eles produzido…

Aquele que um dia resolvemos chamar…Amor…

 

Quando nos encontramos neste verdadeiro estado de graça, irradiamos Amor…

Nada mais importa…

 

“A folha, quando ama, torna-se flor; a flor, quando ama, torna-se fruto.”

                                   Rabindranath Tagore

 

A tomada de consciência do verdadeiro ser que realmente somos, é simplesmente a revelação do Amor que existe em nós…e que conseguimos partilhar…

É essa consciência que modifica nossas vidas…

 

Sempre que amamos estamos vivendo num estado presença e, como tal, reencontrados com nós mesmos…

Sempre que nos reencontrarmos encontramos Amor…

 

A consciência do reencontro atinge-se quando conseguimos sentir que tudo aquilo que existe em nós é Amor…e que temos a capacidade de o partilhar com o próximo…

 

 

Ter a capacidade de amar é receber de um desconhecido o Universo e conseguir reconhecê-lo…

 

 

 

Fiquem bem…

 

 

 

 


publicado por Agora às 07:31
link do post | comentar | favorito
Sábado, 30 de Junho de 2012

Quarta etapa...(IV)

 

 

 

Nesta etapa, só sobrevive quem se conseguir libertar…

 

É chegado o momento de fazermos escolhas…

 

Teremos de decidir entre o “eu” fabricado em tantos momentos da nossa vida passada ou o “eu” que estamos a descobrir ser…

 

Chegada a esta fase, teremos de o decidir…agora é o momento!

 

Para tal, temos de acreditar…temos de ter fé…

Devemo-nos vestir dessa mesma fé, entregarmo-nos ao Universo e acreditar…

 

Com a coragem que emana de nós neste momento, conseguiremos ultrapassar mais este patamar…

Devemos tomar bem consciência dele pois será aquele que mais vezes nos irá aparecer…em nossos caminhos…

 

Vestidos de fé…

Confiantes no Universo…

Coragem no acreditar…

Determinação na passada…

 

...

 

Paz…

 

 

Agora que conseguimos dar esse mesmo passo, sentimo-nos em paz…

 

Já conseguimos olhar para nós e para a nossa vida…sem julgamentos…

Já não precisamos de desculpas…

 

A tomada de consciência que somos os únicos responsáveis das decisões anteriormente tomadas, dá-nos coragem para podermos seguir em frente…

Essas mesmas decisões afastaram-nos de nosso caminho mas, colocaram-nos onde estamos agora…

 

Coloquemos uma pedra nesse mesmo passado…

 

Olhemos simplesmente para o futuro…

 

E esse…é agora!

 

 

Fiquem bem…

 

 

 

 


publicado por Agora às 07:50
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 29 de Junho de 2012

Quarta etapa...(III)

 

 
 

Agora, usando como companhia a nossa própria essência, já nos podemos “vestir” da determinação necessária para conseguirmos ultrapassar mais este patamar…

 

Não nos podemos esquecer que depois da tomada de consciência sobre nós mesmos, nada mais teremos de provar…

Nós somos a verdade e, essa mesma verdade triunfará sobre a própria mente…

Ela nos libertará…

 

Com esta nova tomada de consciência, sentiremos que a desconfiança e o receio são também ilusões…

Ilusões criadas pela nossa mente…

Se aceitarmos essas mesmas ilusões como sendo reais, elas irão reagir como tal e tudo o que possa acontecer passará a ser real…porque nós a tornamos reais…

Mas, se as aceitarmos como ilusões que são, poderemos ultrapassar este patamar facilmente…por mais difícil que ele possa parecer…

Neste momento, já nada temos a perder…

 

Afinal quem realmente somos?

Seremos aquela pessoa que pensamos ser ou seremos simplesmente o que podemos ser?

 

Agora que criámos o dilema, respiremos fundo…

Desta forma poderemos acalmar nossa alma…

 

Se pensarmos que existem limitações seremos seres limitados…

Se aceitarmos o horizonte como o único que existe, estaremos a ele limitados…

Se nos agarrarmos simplesmente ao que já conhecemos, nada mais descobriremos…

Se não evoluirmos…estagnamos…

 

Somos simplesmente aquilo que decidirmos ser…a cada momento…

 

 

 

Fiquem bem…

 

 

 

 

 

publicado por Agora às 07:05
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 28 de Junho de 2012

Quarta etapa...(II)

 

 

 

 

Desistir, parece ser mesmo o caminho…

 

Isto acontece porque depois de ultrapassada a etapa do Conhecimento, ficámos sem as nossas habituais defesas…

Colocados à prova, sentimo-nos vulneráveis…

 

Tentamos solicitar de imediato ajuda àquela pessoa que normalmente nos tem ajudado…

Ela, por algum motivo não nos pode ajudar…

Buscamos ajuda aos “mestres”, “anjos da guarda”, “guias” e…nada…

 

Completamente desamparados corremos o risco de solicitar essa mesma ajuda à nossa mente…

Ela, desejosa em recuperar todo o terreno perdido, apresenta-se como a nossa salvadora…

Aparece como sendo a salvadora do indivíduo…como o seu único parceiro…

 

É claro que este é mais um dos obstáculos colocados no nosso caminho e que teremos de aprender a enfrentar…

Seremos tentados várias vezes…

Outras tantas pensaremos em desistir…

 

Depois de tudo o que já passámos…encontramo-nos no limite de nós próprios…

A lembrança da nossa vida anterior surge como salvação para este novo momento…

Essa mesma vida…já nós a conhecemos…

Já aprendemos como nos defender dela…

Sabemos que poderá não ser a ideal mas…é a mais…”segura”…

 

Mas, como poderemos viver connosco se não conseguirmos ao menos testar o conhecimento em nós mesmos…

Através do conhecimento, anteriormente adquirido, poderemos travar esta nova ascensão da mente…

Sabemos que não estamos sós quando reencontrados com a nossa essência...

Ela é a nossa verdadeira companhia...

A luz que nos ilumina...

 

A única arma que teremos nesta batalha será a verdade…

Evitemos arranjar desculpas para a nossa forma de agir…

Somos pessoas responsáveis…com os outros…

Sejamo-lo também connosco…

Tentemos ser conscientes, verdadeiros e honestos…com nós próprios…

 

Só a verdade poderá vencer…

 

 

Fiquem bem…

 

 

 


publicado por Agora às 07:05
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 27 de Junho de 2012

Quarta etapa...(I)

 

Nesta última etapa será testada a determinação e coragem…

 

Haverá momentos em que precisaremos de alguém, de um guia mas o Universo corta-nos a possibilidade de recebermos essa mesma ajuda…

Existem momentos em que nada nem ninguém nos podem ajudar…

Nestas fases, teremos de contar exclusivamente connosco mesmos…

Teremos de ser nós a decidir e a ultrapassar os obstáculos com os quais deparamos, sempre tendo em conta do que realmente queremos…

 

Será necessária uma dose de coragem suplementar para os ultrapassar e seguir em frente contando simplesmente com nós próprios…

Necessitaremos de ter determinação e coragem para superar as provações que nos são colocadas…

Não nos devemos esquecer que nesta altura, estaremos sempre a ser postos à prova…

 

É neste patamar que serão tratados os medos e as dúvidas…

As situações que nele poderão acontecer acontecem naturalmente e entrarão sempre em conflito com a nossa mente…

É nesta altura que aparecerão os incontornáveis medos…

Ponderaremos tudo e todos…

Mas, aquilo que se torna mais difícil de ultrapassar é o enorme sentimento de dúvida que a nossa mente nos consegue incutir nesta fase…

É a fase onde o desistir parece ser o único caminho…

 

Quantas pessoas desistem desta caminhada exatamente nesta altura…praticamente no fim do seu reencontro…

 

 

Fiquem bem…

 

 

 


publicado por Agora às 07:39
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 26 de Junho de 2012

Terceira etapa...(VI)

 

 

 

Quando fazemos a passagem para esta vida, trazemos connosco a luz e o conhecimento…

Somos como que um diamante bruto à espera de ser polido…

É só do que precisamos…de o polir…

Esse polimento é simplesmente o nosso reencontro..

 

Para quê buscar no exterior mais do que já somos…

Como podemos tentar ser mais do que…seres perfeitos?

Desde criança que andamos ocupados a tentar ser mais…que nos esquecemos de ser simplesmente…

Tantas vezes nos perdemos procurando aquilo que, na maioria das vezes, existe bem perto de nós…

 

A ambição que vem da mente pode trazer dinheiro, casas, carros e tantas outras coisas…

Mas os sonhos que vêm da alma, quando por eles lutados, trazem os tão ambicionados momentos de felicidade…

 

Este é o propósito da nossa vinda a esta vida…

 

  • Tomarmos consciência do Conhecimento…

 

É com esta tomada de consciência que nos apercebemos daquilo que nos une e nos permite percorrer juntos a caminhada nesta vida…de mãos dadas…

Para o podermos fazer, necessitamos de estar…reencontrados…

Para tal, necessitamos de partilhar essa mesma tomada de consciência com todos aqueles com quem nos cruzamos e que andam em busca deles mesmos…

 

Em suma, depois do nosso reencontro devemos ajudar todos aqueles que nos procuram e dar-lhes as ferramentas que irão precisar para também eles se reencontrarem…

Mas, não esqueçam…

Essa é uma viagem que cada um terá de aprender por si…

As tomadas de consciência do conhecimento só poderão acontecer se cada um se conseguir reencontrar com ele mesmo…

Nesta constante partilha de conhecimentos, existe algo que normalmente esquecemos…

Ela terá de ser simplesmente…oferecida…

 

Como seriam diferentes a vida se cada um tivesse a coragem de tentar mudar antes de nos perdermos de nós mesmos…

Normalmente só tentamos mudar quando achamos que nada mais temos a perder ou quando o Universo nos obriga a “renascer das cinzas”…

 

 

 

Fiquem bem…

 

 

 


publicado por Agora às 07:36
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 25 de Junho de 2012

Terceira etapa...(V)

 

 

 

Poderíamos de novo observar o belo ser que realmente somos…e mais uma vez admirar a beleza do reflexo de luz que liberta a nossa energia…

Poderíamos imaginar como os outros nos veriam…

 

Cairia por terra a beleza física e tantas outras coisas pelas quais desesperadamente lutamos…

Perceberíamos que temos andado toda uma vida imaginando formas de agradar os outros quando na verdade…somos tudo…simplesmente…

 

Poderíamos então observar a perfeição que existe na inocência do ser…

Entenderíamos que existe algo que faz de suporte a essa mesma perfeição…e que nos mantém unidos às outras partes…o Amor…

 

Nesta etapa, tomaremos consciência de que a “verdadeira verdade”…é o Amor…

O Conhecimento é o Universo…não se divide…

Emana da mesma fonte de verdade…

 

A verdadeira consciência só é atingida quando percebermos que não precisamos de querer mais do que aquilo que realmente somos…

Quando nos apercebermos que aquilo que mais nos aprisiona é a ambição de sermos aquilo que a nossa mente nos pede para ser…a cada momento…estaremos livres…

 

Com esta tomada de consciência apercebi-me que o conhecimento nos transforma numa criança pura…

Aquela que sempre fomos…

Foi com essa consciência que escrevi um dia…

Libertemos a criança que existe em cada um de nós mas, limpem-se de tudo aquilo que fez de nós…adultos…

 

Compreendo…

Provavelmente, em crianças, raramente ouvimos dizer para sermos aquilo que sentíamos ser…

Desde pequenos que nos é incutida a ambição…

Normalmente, frases como “Quero que sejas o melhor…”; “Deves querer sempre mais…” e tantas outras, eram aquelas que mais ouvíamos…

Entendo o propósito de quem nos educou…

Acredito que tentaram fazer o melhor que sabiam e pensaram estar a dar-nos a melhor educação…

Eles desconheciam que também eles viviam exclusivamente no plano material…

 

Mas, o problema não está nesse passado mas sim neste presente…

Ainda hoje ouvimos essas mesmas frases…

Ainda hoje se incute a ambição…de forma desmedida…

 

Eu acredito em nós…

Sei que um dia se fará luz e que entenderemos…

Nessa altura soará de forma bem diferente aquilo que tanto se diz:

 

  • “Devemos Amar o próximo…”

 

 

Fiquem bem…

 

 

 


publicado por Agora às 06:47
link do post | comentar | favorito
Domingo, 24 de Junho de 2012

Terceira etapa...(IV)

 

 

 

Nos últimos passos tentámos analisar, de forma generalizada, que tipo de relações interpessoais é que temos…

Hoje, para que consigamos aproximar-nos mais do objetivo desta etapa, proponho que os analisemos sobre um outro ângulo…

 

Deveremos analisar que tipos de amor dedicámos a esses mesmos relacionamentos…

Procuraremos encontrar por quem nutrimos o “verdadeiro amor”…incondicional…que é sentido com a alma…

 

Amor nos relacionamentos…

Amor por filhos, pais…amor pelo próximo…amar o distante…

 

 

Mas, antes de iniciarmos essa análise, existem passos que teremos de dar…

 

Nesses mesmos passos facilmente chegaremos à conclusão que se tentarmos pensar verdadeiramente neste assunto dificilmente saberemos distinguir a verdade…

 

Tomaremos a consciência de que necessitámos do amor de todos eles mas…também descobriremos que:

 

  • Esquecemo-nos de sentir amor por nós próprios…

 

 

Pois…provavelmente um dos maiores problemas (se não o maior…) que o ser humano enfrenta…amar-se a ele mesmo!

 

Discerniremos de que, ausentes do conhecimento sobre o amor por nós próprios, somos incapazes de amar realmente…

Perceberemos então que para colmatar essa enorme falha nossa, temos sempre buscado esse mesmo amor…nos outros…

Para escondermos o quanto não gostamos de nós, buscamos incondicionalmente quem de nós goste…

Quanto maior for a necessidade de recebermos amor vindo dos outros, maior é a forma de como não gostamos de nós…

E, essa mesma necessidade será sempre um obstáculo entre nós e os outros…

 

Claro!

Por isso não nos sentimos completamente satisfeitos…

Temos sempre a sensação de que nos falta algo…

Tomaremos então a consciência de que o amor que poderemos sentir pelos outros será tão intenso quanto intenso for o amor que conseguirmos sentir por nós mesmos…

 

Neste preciso momento, a nossa mente, desejosa de recuperar tempo perdido, lança-nos um desafio…

Esta “teorias” parecem bonitas ditas assim…mas, como conseguirás gostar de ti mesmo?

(A única forma de nos libertar-mos das amarras impostas pela nossa mente argilosa e complexa, é com simplicidade…)

Simples…tomando consciência do que temos feito, é mesmo um começo…

 

Como as coisas mudariam se nos pudéssemos observar antecipadamente e víssemos como realmente seriamos depois de termos aceite e assimilado o conhecimento…

Que bom seria se pudéssemos ver o nosso reflexo nessa altura…

Tanta coisa mudaria…

 

 

 

Fiquem bem…

 

 

 


publicado por Agora às 10:48
link do post | comentar | favorito
Sábado, 23 de Junho de 2012

Terceira etapa...(III)

 

 

 Nesta etapa temos de fazer uma introspeção profunda acerca do que realmente é importante na nossa vida…

Tentarmos verdadeiramente perceber, qual o tipo de relações é que temos…com as pessoas que nos rodeiam…

Devemos tomar consciência da evolução que essas mesmas relações foram tomando…e perceber que caminhos elas tomaram…

Devemos ver o que sentíamos inicialmente e o que realmente o que foi mudando…até o dia de hoje…

 

Todos sabemos que existe uma confusão generalizada entre necessidade…e amor…

A maioria das vezes nem nos dedicamos ao assunto para não tomarmos consciência dessas mesmas diferenças…

 

É nesta altura, depois da análise feita, que nos apercebemos da diferença entre Amor, partilha e…necessidade…

Com este conhecimento, seremos capazes de perceber com quem temos partilhado, de quem temos precisado e a quem temos realmente amado…ou pensámos amar…

Conseguiremos perceber o que aconteceu para que a chama desse “pensado” amor se tivesse desvanecido…

Entenderemos para que agimos desta ou daquela forma em determinado momento…

Veremos a quantidade de vezes que colocamos aquilo que pensámos ser o melhor para nós, à frente daquilo que sentíamos querer…

Enfim…tomaremos consciência das relações humanas…

 

Em suma…

Vamo-nos apercebendo de quem realmente junta a sua luz à nossa vida…

Perceberemos também quem afastámos de nós e para que o fizemos…

Tomaremos consciência do quanto culpabilizámos os outros pelas nossas atitudes (“culpas”)…

Detetaremos o quanto fomos injustos com algumas dessas pessoas…

Notaremos que no fundo temos optado mais, pelas pessoas de quem sentimos necessidade de algo do que lutarmos por aquelas que realmente amamos…

No fim, iremo-nos aperceber que na maioria das vezes seguimos a razão (consciência social…o que está “certo”) em vez de seguirmos o que sentíamos vir de dentro…o “gritar” da alma…

 

Quantas vezes sentimos “aquele” enorme peso no peito sempre que decidimos pelo que estaria socialmente correto…

Quantas vezes sentimos uma grande angústia, em vez da tão ansiada paz, sempre que seguimos aquilo que pensámos ser o melhor para nós…

Quantas vezes sentimos a garganta a secar sempre que o Universo nos faz sentir aquele caminho…outrora por nós abandonado…

 

 

Fiquem bem…

 

 

 


publicado por Agora às 05:26
link do post | comentar | favorito

.Mais...


. Perfil...

. Adicionar...

. 7 seguidores

.Setembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
21
22

23
29

30


.Momentos mensais...

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

.Momentos...

. Doenças degenerativas - O...

. Doenças degenerativas - O...

. Doenças degenerativas - O...

. Doenças degenerativas - O...

. Doenças degenerativas - O...

. Trocas Energéticas...(VI)

. Trocas Energéticas...(V)

. Trocas Energéticas...(IV)

. Trocas Energéticas...(III...

. Trocas Energéticas...(II)

. Trocas Energéticas...(I)

. Reencontro...

. Quarta etapa...(IV)

. Quarta etapa...(III)

. Quarta etapa...(II)

. Quarta etapa...(I)

. Terceira etapa...(VI)

. Terceira etapa...(V)

. Terceira etapa...(IV)

. Terceira etapa...(III)

. Terceira etapa...(II)

. Terceira etapa...(I)

. Segunda etapa...

. Primeira etapa...

. Preparação da caminhada.....

. Preparação da caminhada.....

. Preparação da caminhada.....

. Preparação da caminhada.....

. Propósito desta caminhada...

. Propósito desta caminhada...

. Propósito desta caminhada...

. Caminhada em busca de mim...

. Caminhada em busca de mim...

. Caminhada em busca de mim...

. Respostas - Livre Escolha...

. Respostas - Livre Escolha...

. Respostas - Livre Escolha...

. Respostas - Livre Escolha...

. Perguntas - Livre escolha...

. Análise – Resumo…(V)

. Análise – Resumo…(IV)

. Análise – Resumo…(III)

. Análise – Resumo…(II)

. Análise – Resumo…(I)

. Análise – Mudança…(V)

. Análise – Mudança…(IV)

. Análise – Mudança…(III)

. Análise – Mudança…(II)

. Análise – Mudança…(I)

. Análise – Indecisões…(II)